New members only: Get access to member benefits starting at $21.99. Access Classes, Stats, and more!Upgrade now

Zeca Ribeiro

Constituição Federal do Brasil - Art.5º:

"IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

V - É assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além de indenização por dano moral, material ou à imagem".

Contato:

zecaribeiro7@globo.com
061-8206.4161
skype: zecaribeiro7

José Ribeiro, o Zeca Ribeiro, nasceu em abril de 1965 na cidade de Gouveia , antigo distrito de Diamantina-Minas Gerais. Ainda pequeno, mudou-se para Brasilia, onde passou grande parte da sua vida. Sempre foi irrequieto, demonstrando ainda no primário seu interesse pela arte, música e poesia, fazendo parte dos movimentos políticos e culturais do Distrito Federal nos anos 80. Nessa época, Brasília era um caldeirão em ebulição em plena ditadura. Em meio a estados de sítio, censura, repressão e outras barbáries, os jovens da nova capital buscavam sua identidade, carentes de ídolos, importando referências na filosofia alemã , nos pubs ingleses e nos brasileiros exilados no golpe de estado de 1964.

Foi neste cenário que Zeca Ribeiro criou e deixou a sua marca, nos teatros Galpão e Galpãozinho, teatro da Escola Parque, festivais de rock no Food's, Galeria São Francisco, quadras da Asa Norte (onde comandava a banda Extremo), teatro Rola Pedra Etc... e Tal em Taguatinga, Shows na Casa do Ceará, onde recitou sua primeira poesia ao lado do violão de Roger e Teti - parceiros de Ednardo - e Teatro Dulcina no CONIC.

Seu contato com a fotografia deu-se pela necessidade de registrar a truculência policial numa manifestação popular de insatisfação com o regime em 1980, momento em que pegou emprestada uma Pentax Spotmatic do fotógrafo Peixoto, militar (P2),que fotografava as escondidas a repressão a uma corrida de carros e motos pelas ruas centrais da cidade satélite do Guará 1. O "pega" aconteceu em protesto á proibição de uma rua de lazer em que o palco seria do Aborto Elétrico de Renato Russo e do Rock Fusão. Nesse dia, após correr dos cães e da policia por 3 quilômetros com a máquina na mão, decidiu ser fotojornalista. Em 1981 conseguiu emprego na sucursal do Jornal O Fluminense. Era Office-boy, entregador de jornais, fotógrafo, e até faxineiro. Subordinado ao professor de jornalismo da UPIS, jornalista Affonso Henriques de Barros, aprendeu fotografia e diagramação na Revista Novidades em Brasília. A revista durou um ano e das 12 edições, 09 capas foram com fotografias de Zeca Ribeiro. Com a morte do professor Affonso, foi trabalhar em um laboratório de fotografia expressa ao mesmo tempo em que era auxiliar no estúdio do fotógrafo Peixoto, aprendendo a trabalhar com retratos, still-life e publicidade. A poesia, a música e o teatro ficariam para trás. De 1985 a 1990 trabalhou com book`s e fotografia social em Fortaleza-Ceará. Em 1991 foi para Porto Velho-RO fazer fotografia publicitária num mercado totalmente cru, abrindo caminho para outros fotógrafos quando vendeu a primeira fotografia para um anúncio do governo estadual.

Hoje Zeca Ribeiro vive no eixo Porto Velho-Brasilia-Salvador, enquanto não fixa residência de vez na terra de Caymmi e Valter Firmo.

  • 38 Affection
  • 2,081 Photo Views
  • 27 Followers
  • 38 Following
  • Brasilia, DF, Brasil